segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

'I Love a Criminal' Cap. 45

*Domingo*
-07:30-
>(SEU NOME) ON<
     Estávamos todos sentados à mesa, o clima era um tanto quanto desagradável, nenhuma pessoa presente no local ousou dizer uma única palavra desde que Lauren e Camila se sentaram junto com todos ali.
Vin Diesel: _Posso saber o que significa isso? -- (Vin Diesel perguntou direcionando seu olhar para mim).
(Seu Nome): _Estou recrutando mais pessoas para essa coisa ridícula que você está formando.
Vin Diesel: _Você não pode trazer pessoas desconhecidas para dentro dessa casa sem avisar ninguém. -- (Eu apenas ri irônica enquanto todos tinham a atenção voltada para mim).
(Seu Nome): _É sério que você disse isso? Olhe em volta, olha o tanto de pessoas que você colocou aqui dentro.
Vin Diesel: _Você me entendeu. Eu avisei que essa parte não ficaria em suas mãos (Seu Nome).
(Seu Nome): _Avisou? Desculpa, mas não me recordo. -- (Respondo normalmente enquanto bebericava um pouco da minha bebida).
Vin Diesel: _Como consegue ser tão insubordinada? 
(Seu Nome): _Eu já disse á você que não recebo ordens de ninguém Vin Diesel.
Vin Diesel: _Eu sou o seu pai. Você me deve respeito. -- (Ele disse começando a se exaltar).
(Seu Nome): _Você é o meu pai fora dos negócios, e pelo o que vejo esse assunto não engloba o nosso espaço familiar. Enquanto estivermos tratando de negócios eu sou apenas mais uma das integrantes desse grupo ok?
Vin Diesel: _Se eu realmente te tratasse apenas como uma integrante assim como todos os outros certamente você já estaria morta.
(Seu Nome): _O que está esperando para me matar? -- (Perguntei o desafiando).
Angelina: _Já chega. (Seu Nome) você está passando dos limites.
(Seu Nome): _Vamos Vin Diesel, saque a sua arma e atire em mim. -- (Ele apenas me olhava sério) -- Eu não tenho medo de você Vin Diesel, não tenho medo de morrer, não tenho medo de nada, pelo menos não mais. -- (Sem dizer uma única palavra o homem apenas se levantou e saiu do cômodo).
Paul: _Tem que parar de provocá-lo.
(Seu Nome): _Provocá-lo? Acredite aquilo não foi uma provocação. -- (Angelina e Paul apenas se olharam suspirando).
Justin: _Podemos falar sobre o fato de você ter trago duas traidoras para dentro dessa casa? -- (Justin se pronunciou me olhando com uma expressão séria. Dei um sorriso cínico enquanto encarava o garoto).
(Seu Nome): _Bieber, que honra você se pronunciar. -- (A ironia como sempre acompanhava cada palavra que saía de minha boca).
Zara: _(Seu Nome) sem provocações. -- (Zara logo tratou de me repreender ao perceber que eu certamente me divertiria irritando Bieber).
(Seu Nome): _Estou apenas honrada em ouvi-lo Zara.
Demi: _Sabe que elas não são de confiança. -- (Demetria comentou fazendo com que minha atenção se voltasse para ela).
(Seu Nome): _Que ironia você falar isso Demetria. Será que eu vou ter que expor seu mau caráter para todos aqui dentro? -- (Ela apenas permaneceu em silêncio certamente já sabendo do que se tratava. Olhei brevemente para todos ali presentes, suspirei e comecei a falar) -- Ok, vamos esclarecer algumas coisas aqui. Como em qualquer lugar aqui dentro há uma pirâmide onde obviamente Zara, Zac, Paul, Angelina, Vin Diesel e eu estamos no topo, e digamos que vocês todos estão abaixo da base o que significa que são todos descartáveis, pelo menos para mim. Então me deixe lembrar algo á vocês, tudo o que nós do topo decidirmos vocês apenas aceitam e ficam calados ok? Sem questionamentos, sem revoltas, sem opinião. Entenderam?
Justin: _Não somos seus escravos. -- (Justin disse se levantando e dando um murro na mesa. O olhei com indiferença, dei um sorriso irônico e balancei a cabeça negativamente).
(Seu Nome): _Zara manda o seu coleguinha se sentar antes que eu me estresse.
Zara: _Justin...
Justin: _NÃO. -- (Imediatamente me levantei sacando a arma e apontando para o mesmo).
(Seu Nome): _Eu sei que você é um babaca Bieber, mas eleve a voz para a minha irmã novamente e eu te mato.
Zara: _(Seu Nome) abaixa a arma.
(Seu Nome): _Vamos Bieber grita com ela novamente. 
Justin: _Atira e acaba logo com toda essa merda.
(Seu Nome): _Você não sabe o quanto eu queria fazer isso Bieber.
Justin: _Então faça. O que te impede?
(Seu Nome): _Zara. Infelizmente ela acha que você é importante, então basicamente é ela quem me impede.
Justin: _Não sabia que era pau mandado dos outros. -- (Ele disse com um sorrisinho debochado na clara tentativa de me provocar. Apertei minha mandíbula tentando me controlar, dei um sorriso de lado e desviei a arma para um homem negro de cabeça raspada e cheio de tatuagens sentado ao lado de Bieber).
(Seu Nome): _Se eu te matasse ela certamente não iria me perdoar, mas se eu matar um dos seus amigos acho que o problema não será tão grande. -- (Percebi Justin ficar sério ao ver a arma apontada para seu amigo) -- Senta aí Bieber, antes que eu enfie uma bala na cabeça do seu amiguinho. -- (Ainda com uma expressão séria Justin apenas se sentou em sua cadeira sem dizer uma única palavra) -- Bom garoto. -- (Digo sorrindo irônica) -- Lauren e Camila ficarão conosco vocês gostando ou não. Elas estão sobre minha proteção então qualquer gracinha e eu mato, independente de quem seja. -- (Terminei minha frase olhando para Bieber que permanecia sério. Passei meus olhos por todos sentados à mesa e sem dizer nada eu apenas me retirei).
>(SEU NOME) OFF<
...
-18:30-
>LAUREN ON<
     Camila e eu nos encontrávamos deitadas sobre a cama do nosso novo quarto, após o café da manhã totalmente tenso nós fomos encaminhadas para o quarto onde passamos o restante do dia. Batidas soam na porta fazendo com que Camila e eu nos olhássemos.
Lauren: _Eu atendo. -- (Digo me levantando e indo em direção a porta. Assim que a abri me deparo com a figura da irmã de (Seu Nome), a qual se eu não me engano se chamava Zara) -- Posso ajudar em alguma coisa?
Zara: _Sim. Na verdade eu queria saber se a Camila está com você, eu gostaria de falar com ela.
Lauren: _Ã claro, entre. -- (Respondi dando espaço para que a garota entrasse, e assim ela fez).
Camila: _Zara?
Zara: _Oi Camila. Você tem um tempinho pra falar comigo? -- (Camila me olhou por um instante, voltando seu olhar para a garota loira logo em seguida).
Camila: _Claro. A Lauren pode ficar?
Zara: _Sim, claro.
Lauren: _Na verdade eu vou procurar pela (Seu Nome). Você sabe onde ela está? -- (Perguntei fitando Zara).
Zara: _Não. Mas certamente ela deve estar treinando uma hora dessas, ela geralmente usa isso pra esfriar a cabeça. Se você quiser eu posso te levar até lá. 
Lauren: _Não precisa, eu me viro. Até mais garotas.
Zara: _Até.
Camila: _Até Lolo.
     Após sair do quarto logo tratei de procurar pelo tal lugar onde (Seu Nome) estaria treinando, por sorte não encontrei ninguém indesejado pelo caminho, confesso estar um pouco apreensiva quanto às garotas da gangue da Demetria, afinal é a primeira vez que as vejo desde que eu simplesmente sumi sem dar satisfações. Depois de andar um pouco pela casa eu acabei desistindo e perguntando para um dos seguranças onde ficava o tal lugar, ele logo tratou de me levar até o local. Ainda do lado de fora eu pude ouvir barulho de socos sendo distribuídos em alguma espécie de saco de pancadas. Agradeci ao segurança que logo se retirou, e então finalmente adentrei no cômodo encontrando (Seu Nome) treinando junto com um garoto.
Zac: _Acho que temos companhia. -- (O garoto ainda de nome desconhecido disse para (Seu Nome) que logo parou o que estava fazendo direcionando sua atenção para mim).
(Seu Nome): _Lauren?
Lauren: _Olá.
(Seu Nome): _Se perdeu no caminho para o seu quarto?
Lauren: _Na verdade eu vim para falar com você.
(Seu Nome): _Eu estou ocupada. -- (Respondeu voltando a socar o saco de pancadas).
Lauren: _Vai ser rápido. -- (Insisti. Ela apenas parou novamente, mas dessa vez sem me olhar).
(Seu Nome): _Se importa de encerramos aqui Zac?
Zac: _Não. Mas você tem certeza disso? -- (Perguntou me olhando um tanto quanto desconfiado).
(Seu Nome): _Tenho sim. Ela é inofensiva, não precisa se preocupar. -- (O tal Zac voltou seu olhar para (Seu Nome), depositou um breve beijo em seus lábios, o que confesso ter me pegado de surpresa e logo em seguida saiu do cômodo).
Lauren: _Vocês têm algo? -- (Minha pergunta saiu em um tom um tanto quanto indiscreto).
(Seu Nome): _Você pode pelo menos tentar disfarçar essa expressão de surpresa?
Lauren: _Desculpa. Foi uma pergunta indiscreta, eu sei.
(Seu Nome): _O que você quer comigo? -- (Ela perguntou direta enquanto voltava a dar alguns socos no saco de boxe).
Lauren: _Eu queria conversar na verdade.
(Seu Nome): _Sobre?
Lauren: _Sobre tudo. 
(Seu Nome): _Seja mais específica Jauregui. 
Lauren: _Sobre você.
(Seu Nome): _Sobre mim?
Lauren: _Sim. Passamos tanto tempo sem nos ver, e quando nos reencontramos as coisas estão totalmente loucas e diferentes.
(Seu Nome): _As coisas mudam Lauren, isso é normal. -- (Ela continuava a socar o saco enquanto conversava comigo).
Lauren: _Não desse jeito (Seu Nome). Você mudou de uma forma extrema, e eu não tenho certeza de que isso é bom.
(Seu Nome): _Você não tem que ter certeza de nada Jauregui, a vida é minha, e se eu estou satisfeita você não precisa se meter.
Lauren: _Ninguém muda de uma forma tão extrema (Seu Nome), eu quero saber o que realmente aconteceu.
(Seu Nome): _Aconteceu que eu evoluí Lauren, e você também precisa.
Lauren: _Para com isso. -- (Disse indo até ela e a segurando pelos ombros fazendo com que a mesma parasse de socar e começasse a prestar atenção em mim) -- Pare de socar isso e me olhe nos olhos (Seu Nome).
(Seu Nome): _Escuta Lauren, você realmente quer a verdade?
Lauren: _Sim. É isso o que eu venho pedindo desde a hora que nos encontramos.
(Seu Nome): _Tudo bem, então vamos lá. A verdade é que sim eu mudei, e não foi pouco, mas eu mudei para melhor, para muito melhor. Durante esses dois anos eu aprendi como aperfeiçoar minhas técnicas de luta e manuseio de armas, aprendi a me tornar mais forte tanto fisicamente quanto mentalmente. Eu cheguei aqui carregada pelo ódio que eu sentia por cada uma de vocês. Os anos foram se passando e o que antes era ódio acabou se tornando indiferença. Sabe o que isso significa? Significa que eu estou pouco me fodendo para cada uma de vocês, por mim tanto faz se vocês estão ou não respirando, as existências de vocês se tornou algo totalmente insignificante para mim. -- ((Seu Nome) falou todo seu discurso olhando em meus olhos com uma expressão séria, e realmente havia algo diferente em seu olhar, ele parecia estar mais frio, porém isso não iria me convencer de que ela realmente havia se tornado aquilo).
Lauren: _Mentira.
(Seu Nome): _O quê? 
Lauren: _É mentira. Você não conseguiria ser indiferente tão facilmente. Eu te conheço (Seu Nome). -- (Ela arqueou as sobrancelhas me olhando).
(Seu Nome): _Conhece? -- (Antes que eu pudesse respondê-la uma rasteira foi usada em mim fazendo com que eu imediatamente caísse no chão, olhei para a garota ainda de pé e agora ela apontava uma arma para mim) -- Acha que realmente me conhece? 
Lauren: _Você não vai atirar.
(Seu Nome): _O que te garante que não?
Lauren: _Apontar uma arma para alguém não significa que você vai atirar, fui eu quem te ensinei isso (Seu Nome).
(Seu Nome): _Se eu fosse você eu não dividiria de mim Jauregui.
Lauren: _Pois eu duvido. Sei que não é capaz de atirar em mim.
(Seu Nome): _Você atirou em mim uma vez. Por que eu não faria isso agora?
Lauren: _Você sabe que são situações diferentes. Você se ofereceu para me ajudar daquela vez.
(Seu Nome): _Não me importo com isso. Eu não me importo com nada, e muito menos com algum de vocês. 
Lauren: _Então atira. Vamos, a arma está em suas mãos e está apontada para mim, eu não significo nada para você, então atire.
(Seu Nome): _Eu já disse que não vou te matar agora. Gastei uma boa grana para poder te trazer até aqui, não vou jogar tudo fora. -- (Respondeu guardando sua pistola. Me levantei e a olhei nos olhos).
Lauren: _Sabe que não se trata de dinheiro, você pode até dizer que não se importa, mas no fundo você sabe qual é a verdade (Seu Nome). 
(Seu Nome): _A verdade Lauren... – (Ela se aproximou olhando dentro de meus olhos, e por um momento confesso ter sentido medo da escuridão que havia dentro deles) --... é que depois que tudo isso acabar eu vou matar todos aqueles que sobreviverem, e isso inclui você e a sua amada Camila. 
Lauren: _Cala a boca. Você está blefando.
(Seu Nome): _Estou? -- (Ela perguntou fazendo uma referência de disparo contra a própria cabeça enquanto saía do cômodo. Suspirei tomando meu caminho de volta para o quarto).


Continua...

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

'I Love a Criminal' Cap, 44

*Domingo*
-03:45-
>(SEU NOME) ON<
     Acordei com o toque do meu celular, tateei a cama ainda de olhos fechados e assim que o encontrei atendi a ligação sem me preocupar em olhar quem era antes.
-LIGAÇÃO ON-
(Seu Nome): _Alô? -- (Disse sonolenta).
Homem: _Seu pacote está chegando.
(Seu Nome): _Já? -- (Indago abrindo os olhos e me sentando na cama).
Homem: _Sim.
(Seu Nome): _Sabe como chegar aqui né?
Homem: _Sim senhora.
(Seu Nome): _Ótimo. Te aguardo, quando chegar me mande uma mensagem.
Homem: _Ok. Até mais.
(Seu Nome): _Até. -- (Digo desligando a ligação).
-LIGAÇÃO OF-
     Me levantei e fui até meu guarda roupa escolhendo uma roupa qualquer, peguei e caminhei até o banheiro. Tomei um banho rápido para poder acordar, me sequei, vesti a roupa que havia escolhido, acabei de me arrumar e fui verificar minhas armas quando de repente meu celular apita avisando que havia chegado uma mensagem. Olho em seu visor e abro a mensagem.
-MENSAGEM ON-

Homem:  "Já estou aqui em baixo."

-MENSAGEM OFF-
     Terminei de ler a mensagem, coloquei minha arma na cintura e saí do quarto passando pelo corredor com total cautela para não chamar a atenção de ninguém. Fiz meu percurso até a parte de trás da casa onde eu iria encontrar com o cara que havia feito o serviço para mim, saio para o lado de fora o encontrando encostado em seu carro junto de mais dois homens.
(Seu Nome): _Onde está? – (Perguntei assim que o vi).
Homem: _Dentro do porta-malas.
(Seu Nome): _Deixe-me ver. – (Ele me olha um tanto quanto desconfiado, apenas faz um sinal para seus homens que abrem o porta-malas, direciono meu olhar para o homem a minha frente que apenas faz um sinal com a cabeça, como se indicasse que era para eu conferir. Aproximo-me analisando e vejo que estava tudo certo).
Homem: _Fiz meu serviço direito?
(Seu Nome): _Sim.
Homem: _Cadê minha recompensa? – (Reviro meus olhos e faço um sinal para os dois seguranças que se encontravam do lado de fora junto comigo, eles se aproximam trazendo uma maleta, a pego e entrego-a ao homem que imediatamente a abre conferindo se estava tudo certo).
(Seu Nome): _Sou uma mulher de palavra.
Homem: _Sei que sim. – (Respondeu irônico fechando a maleta e me olhando) – Foi bom trabalhar com você. – (Disse estendeu a mão).
(Seu Nome): _Sei que sim. – (Respondi com a mesma ironia utilizada por ele, fiz um sinal para os seguranças que pegaram o “pacote” dentro do porta-malas) – Agora vaza daqui. – (Ordeno dando as costas para o mesmo e entrando em casa logo em seguida sendo acompanhada pelos seguranças. Vou andando de volta para o meu quarto) – Vou separar em duas partes. Você coloca essa parte sobre minha cama, já você leve a outra para a suíte e fique em absoluto silêncio até eu disser que pode sair. – (Ambos fazem o que lhes foi mandado, enquanto um se encaminhou até o banheiro o outro apenas colocou uma parte do “pacote” sobre minha cama) – Agora pode sair, e lembre-se, nem uma só palavra sobre isso com ninguém você entendeu? – (Ele apenas assentiu saindo do quarto logo em seguida. Ao me ver “sozinha” puxo uma poltrona até o meio do quarto de modo que fique de frente para a cama e me sento na mesma logo em seguida, cruzo os meus braço e apenas fico observando meu “pacote” sobre a cama.
...
-06:30-
     O sol já começava a se erguer no horizonte, seus primeiros raios passavam pela janela de vidro deixando o ambiente mais iluminado. Meu olhar ainda estava sobre o maldito “pacote” que ainda se encontrava desacordado. Um sorriso de lado se formou em meu rosto ao vê-lo se movimentando como se fosse despertar. Em poucos minutos seus olhos se abriram, e assim que se deu conta de que estava em um lugar totalmente desconhecido tratou logo de se sentar sobre a cama olhando em volta, vejo seu olhar parar sobre mim, e uma expressão de surpresa surgir em seu rosto.
(Seu Nome): _Bom dia Lauren. – (Digo com um sorriso irônico em meus lábios).
Lauren: _(Seu Nome)? – (Foi tudo o que saiu da boca da garota que eu não via já fazia um bom tempo).
(Seu Nome): _Surpresa em me ver Jauregui? Suponho que sim. – (Lauren olhou em volta e percebi o desespero em seu olhar ao perceber que sua amada não estava ali).
Lauren: _Cadê a Camila? – (Perguntou me olhando séria. Apenas dei uma risada e ela se levantou vindo até mim com raiva, me levantei da poltrona e apontei minha arma para a sua cabeça a fazendo parar onde estava).
(Seu Nome): _Mais um passo e eu estouro seus miolos aqui mesmo. – (Alertei com frieza).
Lauren: _Quem é você? – (Ela me olhava com estranheza e espanto. Ri irônica ao ver sua expressão).
(Seu Nome): _É sempre a mesma pergunta e a mesma expressão de surpresa e de: “Ai meu Deus onde foi parar aquela garota paspalha?” – (Comecei a andar em volta da garota parada totalmente imóvel no meio do meu quarto) – Já se passaram dois anos desde a última vez que nos vimos não é mesmo Jauregui? Posso dizer que mudei algumas coisas nesse meio tempo, mas e você? Continua a mesma Jauregui? – (Lauren apenas permanecia no mesmo lugar sem dizer uma única palavra) – A qual é Lauren, não tenha vergonha, vamos conversar como nos velhos tempos, basta você ignorar a arma apontada para a sua cabeça.
Lauren: _O que aconteceu com você? Quem você se tornou?
(Seu Nome): _O que aconteceu comigo? – (Perguntei rindo) – Acho que você se lembra muito bem o que aconteceu comigo Jauregui.
Lauren: _Está se referindo à sua venda?
(Seu Nome): _Estaria me referindo a mais o que se não fosse à traição que partiu de você e toda aquela maldita gangue?
Lauren: _Sabe que eu não tive nada a ver com tudo aquilo. – (Ela disse séria enquanto eu apenas ria irônica).
(Seu Nome): _Claro que não. Tão inocente você, não é mesmo Lauren?
Lauren: _Do que você está falando? Nós éramos amigas (Seu Nome), eu nunca iria contribuir para aquilo.
(Seu Nome): _Amigas? – (Perguntei rindo) – Ora Lauren, até onde sei amigos não vendem uns aos outros.
Lauren: _É verdade, e eu já disse que não tive nada a ver com aquilo.
(Seu Nome): _Até quando vai continuar mentindo? Saiba que quanto mais você mente mais vontade tenho de enfiar uma bala no meio da sua cabeça.
Lauren: _Vá em frente. Faça isso se é o que vai te deixar satisfeita. – (Ela disse me enfrentando, apenas ri diante de sua afronta).
(Seu Nome): _Não. Eu não gastei tanto para te trazer até aqui só para me dar ao luxo de te matar agora. – (Digo parando de frente para ela) -- Não vou te matar, pelo menos não por enquanto.
Lauren: _O que você quer comigo?
(Seu Nome): _Você por acaso tem noção de onde está? – (Ela apenas negou com a cabeça me possibilitando continuar) – Você está em Los Angeles, mais especificamente na minha casa.
Lauren: _Sua casa?
(Seu Nome): _Mais ou menos. Na verdade é a casa do meu pai.
Lauren: _Seu pai? – (Perguntou surpresa).
(Seu Nome): _Sim. O conhece? – (Ela negou novamente) – Reconhece isso? – (Pergunto me virando e levantando meu cabelo dando-a uma visão da minha tatuagem localizada na região da nuca).
Lauren: _Máfia? Você está na máfia?
(Seu Nome): _Surpresa. – (Digo sorrindo e me virando para ela).
Lauren: _Mas como?
(Seu Nome): _Lembra do velho que me comprou? Pois é, ele trabalhava para o meu pai, que por acaso é um dos líderes da maior máfia do Continente Americano. Digamos que tudo não passou de um plano dele para me trazer até aqui.
Lauren: _Então agora você faz parte da máfia?
(Seu Nome): _Ao que tudo indica sim.
Lauren: _Ok, mas então o que eu estou fazendo aqui?
(Seu Nome): _Preciso dos seus serviços.
Lauren: _Seja lá o que você precisa eu não irei contribuir para nada enquanto eu não ver que Camila está bem. – (Ela disse decidida. Revirei os olhos, caminhei até o banheiro dando três batidas na porta que se abriu logo em seguida, e então Camila apareceu junta de um segurança que a segurava pelo braço) – Camila. – (Falou sorridente ameaçando ir até ela, mas então eu apenas levantei minha arma novamente para Lauren).
(Seu Nome): _Opa, fica aí. – (Ela então parou onde estava).
Lauren: _O que você quer de mim?
(Seu Nome): _Já disse, preciso dos seus serviços. Pra resumir estamos em uma guerra contra uma máfia do Oriente, recrutamos as duas gangues para treinarmos e mandarmos para a batalha quando for a hora. Eu quero que vocês duas se juntem á tudo isso.
Lauren: _Eu saí da gangue da Demetria já faz um bom tempo (Seu Nome). Estou me mantendo longe dessas coisas.
(Seu Nome): _Eu sei que você saiu da gangue dela, digamos que ela e suas ex-colegas de gangue também estão aqui.
Lauren: _O quê? Elas estão no meio disso tudo?
(Seu Nome): _Não exatamente, elas chegaram faz pouco tempo, tanto elas quanto a gangue de Bieber.
Lauren: _Gangue do Bieber? – (Perguntou olhando para Camila que tinha uma expressão de surpresa) -- Eles também estão aqui? – (Indagou voltando seu olhar para mim).
(Seu Nome): _Sim, ambas as gangues estão.
Camila: _E não se mataram até agora? – (Pela primeira vez Camila se pronunciou atraindo minha atenção para ela).
(Seu Nome): _Por incrível que pareça não cara Camila. Sabemos domar bem todos eles.
Lauren: _Como quer que nós duas fiquemos aqui dentro se ambas as gangues querem nossas cabeças?
(Seu Nome): _Quanto á isso não precisam se preocupar, vocês duas estão sobre minha proteção. – (Garanti).
Lauren: _Sua proteção? Pensei que me quisesse morta.
(Seu Nome): _Na verdade não, por incrível que pareça não guardo tanto rancor.
Lauren: _Estou vendo. – (Respondeu irônica).
(Seu Nome): _O fato é que quando cheguei naquela maldita casa você me ajudou como pôde, farei o mesmo por vocês aqui. Então o que me diz? Temos um acordo?
Lauren: _Você quer que eu aceite algo que pode nos matar?
(Seu Nome): _Considerando que vocês não têm outra escolha, então sim, quero que aceitem.
Lauren: _Se nós recusarmos sua proposta o que irá acontecer?
(Seu Nome): _Digamos que não poderia deixá-las vivas caso a resposta seja ‘não’. Desculpa meninas, mas essa foi à condição com os outros, e aqui não temos privilegiados. – (Lauren trocou alguns olhares com Camila, voltou sua atenção para mim e disse).
Lauren: _Tudo bem, nós aceitamos, mas quando isso acabar você promete nos deixar em paz?
(Seu Nome): _Se vocês estiverem vivas podem fazer o que quiserem depois disso.
Lauren: _Ok, feito. – (Estendo minha mão para a mesma que a aperta selando nosso acordo).
Zara: _(Seu Nome), Vin Diesel pediu para todos o encontrarem no café da manhã em 30 minu... – (Zara que entrara em meu quarto como sempre sem bater parou de falar assim que viu Lauren e Camila presentes no cômodo) – Camila?
Camila: _Zara? – (Ambas aparentavam estarem surpresas com a presença uma da outra).
Zara: _(Seu Nome) o que significa isso? – (Indagou voltando sua atenção para mim).
(Seu Nome): _Fecha a porta. – (Pedi e assim ela fez).
Zara: _Pode ir se explicando. – (Disse séria enquanto cruzava os braços).
(Seu Nome): _Te apresento o meu tão esperado pacote. – (Digo sorrindo).
Zara: _Você as sequestrou? – (Perguntou incrédula).
(Seu Nome): _Não, eu apenas paguei alguém pra trazê-las até aqui contra a vontade delas. Ah não, espera, acho que sequestrei sim.
Zara: _Você é inacreditável. O que diabos você tinha na cabeça quando fez isso?
(Seu Nome): _Um cérebro eu acho.
Zara: _Pare já de usar ironia comigo. – (Ordenou nervosa).
(Seu Nome): _Não precisa ficar brava maninha. – (Falo ainda com ironia, apenas para irritá-la ainda mais).
Camila: _Maninha? Vocês são irmãs?
(Seu Nome): _Pois é mundo pequeno não é mesmo?
Zara: _Você está ferida Camila? – (Perguntou preocupada com a antiga colega de gangue).
(Seu Nome): _Relaxa Zara, não dei ordem para machucá-las.
Zara: _Afinal o que você quer com elas?
(Seu Nome): _Quero os serviços delas. Então pode dar as boas vindas para as mais novas integrantes dessa loucura que vamos fazer.
Zara: _Vocês concordaram com isso? – (Questionou direcionando sua atenção para as duas garotas).
(Seu Nome): _Sim elas concordaram, então pare de reclamar e comece a me agradecer por trazer mais duas pessoas para nos ajudar.
Zara: _Qual foi a ameaça dessa vez? – (Perguntou me olhando séria).
(Seu Nome): _A mesma que fizemos com os demais.
Zara: _Morte?
(Seu Nome): _Sim.
Zara: _(Seu Nome)...
(Seu Nome): _Precisamos delas e ponto, eu as trouxe até aqui então eu sou a responsável. Desculpe, mas você não irá se meter em meus assuntos Zara. – (Disse séria antes que ela pudesse me questionar).
Zara: _Tudo bem, como quiser, mas como pretende mantê-las aqui considerando o ódio que as duas gangues têm por elas?
(Seu Nome): _Elas estão sob minha proteção, qualquer um que tentar feri-las irá se ver comigo, isso é tudo o que eles tem de saber.
Zara: _Se você diz. Enfim, temos que descer para encontrar com Vin Diesel e o resto do pessoal.
(Seu Nome): _Qual o motivo de uma reunião tão cedo?
Zara: _Não tenho a menor ideia.
(Seu Nome): _Tudo bem, de qualquer jeito vai ser uma ótima oportunidade para apresentar as garotas.
Lauren: _O quê? Vamos vê-los agora?
(Seu Nome): _Sim. Todos estão nos esperando para o café da manhã, por que não estragarmos mais uma refeição com um clima de merda que certamente vai ficar depois que vocês se juntarem á mesa conosco?
Zara: _Tem certeza de que agora é a hora (Seu Nome)?
(Seu Nome): _Sim. Depois que a reunião chegar ao fim alguém irá levá-las para o quarto de vocês, aí vocês podem tomar um banho e relaxarem, suponho que a viagem até aqui não foi muito confortável. Enfim, vamos descer agora, e você fique perto delas, não deixe ninguém chegar perto ok? – (Disse para o segurança que ainda segurava Camila) – E largue a menina. – (Ordenei e assim ele fez, logo Camila correu até Lauren a abraçando fortemente) – Ok garotas, terão tempo pra isso depois, agora vamos. – (Saímos todos do quarto e descemos para o andar de baixo, por sorte não encontramos ninguém pelo caminho, assim que chegamos à cozinha Zara e eu entramos primeiro deixando as garotas do lado de fora) – Pessoal, que bom que todos já estão aqui, quero apresentar a todos as mais novas integrantes de seja lá o que for isso que estamos fazendo. Podem entrar meninas. – (Assim que Lauren e Camila entraram no cômodo acompanhadas pelo segurança a expressão de todos das duas gangues se transformaram para pura surpresa).


Continua...

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

'I Love a Criminal' Cap. 43

-ALGUMAS SEMANAS DEPOIS-
*Sábado*
-13:30-
>(SEU NOME) ON<
     Já fazia algumas semanas que tanto a gangue de Bieber quanto a de Demetria estavam morando conosco, e sinceramente embora eu não esteja gostando nem um pouco dessa situação devo admitir que com eles nós temos mais chances, em poucas semanas eles conseguiram evoluir bastante, o que é ótimo. Depois da conversa que tive com Demetria, a mesma ficou uma semana inteira sem me incomodar, mas logo depois voltou. Sempre que tem a oportunidade ela vem me atormentar, o que sinceramente só me faz ter mais ódio dela, se dependesse apenas de mim já havia a matado á muito tempo. Sou tirada de meus pensamentos por Zara entrando no meu quarto.
Zara: _(Seu Nome), novidades. -- (Disse entrando e se jogando em minha cama).
(Seu Nome): _Você realmente não sabe bater na porta não é? -- (Perguntei continuando arrumando meus livros).
Zara: _Ai para de ser chata, eu sou sua irmã, não preciso dessa formalidade.
(Seu Nome): _Claro que precisa. Já imaginou se Zac estivesse aqui comigo?
Zara: _Não e nem quero imaginar essa cena. -- (Ela disse fazendo careta e eu apenas ri) -- Enfim, me deixa te contar a novidade.
(Seu Nome): _Ok, fale.
Zara: _Justin topou me encontrar essa noite para nós conversarmos. -- (Ela disse sorridente, a olhei por um momento e respondi).
(Seu Nome): _Hum, que legal. -- (O sorriso presente em seu rosto desapareceu após a minha resposta).
Zara: _Nossa, será que você poderia pelo menos fingir que está feliz por mim?
(Seu Nome): _Eu estou feliz por você, acredite, é só que...
Zara: _É só que o quê?
(Seu Nome): _É só que eu não gosto muito do Bieber, pronto falei. -- (Disse a olhando).
Zara: _Você nem o conhece.
(Seu Nome): _Realmente, mas todas ás vezes que o vi nunca tive uma boa impressão dele se é que você me entende.
Zara: _Você não pode julgá-lo por isso.
(Seu Nome): _Na verdade eu posso. Tanto posso quanto estou fazendo.
Zara: _Você não o conhece.
(Seu Nome): _Ele te fez chorar, isso pra mim já é o suficiente.
Zara: _Zac já te fez chorar e nem por isso eu o odeio.
(Seu Nome): _Mas Zac é uma boa pessoa, você sabe disso.
Zara: _Justin também é, e você saberia disso se desse a chance de conhecê-lo.
(Seu Nome): _Olha, se ele parar de ser um idiota com você eu até penso nessa ideia ok? -- (Zara riu e respondeu).
Zara: _Ok. Adoro quando você banca a irmã protetora.
(Seu Nome): _É o meu dever.
Zara: _Sabe que eu sou a mais velha né?
(Seu Nome): _Mas não parece.
Zara: _Ei. -- (Ela disse jogando um travesseiro em mim, apenas ri. Antes que alguma de nós dissesse alguma coisa meu celular começa a tocar, olho no visor e atendo rapidamente).
(Seu Nome): _Alô? ... Estou com tempo, pode falar. ... Conseguiu localizar? ... Novo México? ... Ok. Já mandou alguém atrás? ... Até quando você consegue me entregar? ... Ótimo. E lembre-se do plano, quanto menos atenção melhor. ... Ok. Nos falamos quando o pacote estiver perto. Até mais. -- (Disse desligando).
Zara: _Que pacote é esse? -- (Perguntou me olhando).
(Seu Nome): _Assunto meu, na hora certa você vai saber.
Zara: _(Seu Nome)...
(Seu Nome): _Relaxa, não é nada demais.
Zara: _Se você diz. Bom, agora eu preciso ir, tenho algumas coisas para resolver.
(Seu Nome): _Eu também vou descer, vou para a sala de treinamento enquanto ela está vazia.
Zara: _Ok, então vamos. -- (Ela disse se levantando da cama, logo em seguida saímos do quarto e descemos para o andar de baixo, Zara tomou seu rumo e eu continuei em direção a sala de treinos. Assim que cheguei fiz um rabo de cavalo e comecei a treinar sozinha, até ser interrompida pela última pessoa que eu desejava ver).
Demi: _Olha quem eu encontrei, de novo. -- (Apenas revirei os olhos e continuei socando o saco de pancadas).
(Seu Nome): _Por que você não para de me seguir ein?
Demi: _Não estou te seguindo.
(Seu Nome): _Claro que não.
Demi: _Bom, estamos na mesma casa, é normal que nos encontremos vez ou outra.
(Seu Nome): _Preferia que você estivesse bem longe daqui de preferência.
Demi: _Quanto ódio.
(Seu Nome): _Você nem imagina o quanto. -- (Disse começando a socar o saco de pancadas cada vez mais forte).
Demi: _Vai machucar a mão.
(Seu Nome): _Queria machucar a sua cara.
Demi: _Nossa, você realmente me odeia né?
(Seu Nome): _Tem alguma dúvida disso?
Demi: _Não deveria, mas na verdade tenho uma certa dúvida se isso é realmente ódio, ou então amor disfarçado e reprimido.
(Seu Nome): _Cala a boca Demetria e sai logo daqui. -- (Disse parando de socar o saco de pancadas e indo até ela a encarando) -- Sai antes que eu imagine o saco de pancadas na sua cara e comece a socar.
Zac: _Algum problema por aqui? -- (Zac perguntou chegando).
>(SEU NOME) OFF<
>DEMI ON<

Zac: _Algum problema por aqui? -- (O garoto chato chegou).
Demi: _Pronto, o príncipe encantado chegou. -- (Disse revirando os olhos).
Zac: _Como é que é?
(Seu Nome): _Não é nada amor, Demetria já estava de saída. -- (Ela disse me olhando, eu até iria sair, mas decidi ficar e provocá-lo um pouco).
Demi: _Na verdade eu não estava não. Eu acabei de chegar. -- (Disse o olhando).
(Seu Nome): _Ok. Então nós saímos, vamos Zac. -- (Disse pegando o namoradinho pela mão, mas ele logo se soltou dela).
Zac: _Não. Quem tem que sair é ela. -- (Eu apenas ri).
Demi: _Aé? E quem vai me tirar? Você?
Zac: _Se for preciso sim. -- (Ele disse se aproximando de mim e me encarando).
Demi: _Tenta a sorte principezinho de merda.
Zac: _Tá maluca garota? -- (Disse me empurrando).
Demi: _Não encosta em mim seu idiota. -- (Respondi devolvendo o empurrão).
(Seu Nome): _Ok, já chega. Vamos embora Zac. -- (Disse tentando arrastá-lo, mas foi em vão).
Zac: _Qual é a sua obsessão pela (Seu Nome) ein? Por acaso nunca viu uma garota bonita? -- (Eu apenas ri e olhei para (Seu Nome)).
Demi: _Ô se vi.
Zac: _O quê? -- (Perguntou sem entender. Foi então que percebi que (Seu Nome) não havia o contado sobre mim. Vai ser ótimo brincar com ele. Dei uma risada irônica, e disse).
Demi: _Meu Deus, você é mais imbecil do que eu pensava.
Zac: _Você tá louca garota?
Demi: _Então ela não te contou sobre mim?
Zac: _O quê?
(Seu Nome): _Zac não cai na dela, vamos sair daqui. -- (Ela disse, certamente com medo do que eu falaria).
Zac: _Não. Eu quero saber do que ela está falando. Comece a falar vadia.
Demi: _Simples principezinho, eu e sua garota já tivemos algo antes dela te conhecer.
Zac: _Isso é verdade (Seu Nome)? -- (Ele perguntou a olhando, mas a mesma apenas me olhava com ódio).
Demi: _Vamos (Seu Nome), diz pra ele com quem você ia pra cama todas as noites, diz pra ele no peito de quem você dormia, diz pra ele os lábios de quem você beijava ao acordar, diz pra ele que nome você gemia durante o sexo, diz.
(Seu Nome): _Cala a boca Demetria.
Zac: _Você está blefando. Só está falando essas coisas para me irritar.
Demi: _É mesmo? Então como é que eu sei que ela tem algumas cicatrizes na região da costela que embora ela não goste tanto, só a deixa ainda mais sexy? Como eu sei que ela tem fobia de lugares apertados e fechados, e sempre que se vê dentro de um, entra em pânico? Como eu sei que em dias chuvosos e frios ela sempre vai querer ficar colada em você, porque segundo ela esses dias são perfeitos para ficar com quem a gente gosta? Como eu sei que nas noites de tempestade ela sempre te procura porque morre de medo do barulho dos trovões e da claridade dos raios? Como eu sei que ela quase nunca consegue assistir um filme até o final, porque ela sempre acaba dormindo na metade? Como eu sei que ela sempre cora quando está com vergonha, e nunca admite quando está com raiva? Como eu sei que embora você faça tudo o possível para vê-la feliz, nada nunca parece o suficiente, porque a felicidade que você sente por tê-la é um milhão de vezes maior do que qualquer coisa? -- (Dei uma breve pausa e olhei para (Seu Nome)) -- E como é que eu sei que embora ela ainda esteja muito brava comigo, e que ainda me odeie profundamente, ela ainda assim está surpresa por saber que apesar de não parecer eu ainda a conheço melhor do que ninguém? -- ((Seu Nome) apenas me olhava, mas dessa vez seus olhos não transbordavam ódio, ela realmente parecia ter ser surpreendido com tudo o que eu disse).
Zac: _Já chega. -- (Ouvi o idiota falar, e logo em seguida recebo um soco forte na boca que acabou me derrubando no chão. Antes que ele pudesse vir pra cima de mim (Seu Nome) o puxa).
(Seu Nome): _Ok, já chega. Vamos sair daqui AGORA. -- (Ela diz o puxando para fora dali enquanto eu apenas continuava no chão sem nenhuma reação. Sei que deveria estar furiosa pelo soco que aquele imbecil me deu, mas tudo o que eu conseguia sentir era felicidade após pela primeira vez ver que os olhos de (Seu Nome) não carregavam ódio ao me ver).
>DEMI OFF<
>(SEU NOME) ON<
(Seu Nome): _O que deu em você em bater nela? -- (Pergunto após entrarmos no meu quarto).
Zac: _O que deu em mim? O que deu em VOCÊ pra ficar defendendo ela?
(Seu Nome): _Eu não estou defendendo ela Zac, por mim você poderia dar quantos socos você quisesse, mas a questão é que Vin Diesel quer que todos se entendam, então se ele por acaso sonhar que você fez isso vai ficar uma fera com você.
Zac: _Eu não estou me importando com isso agora. Anda (Seu Nome), abre o jogo.
(Seu Nome): _O quê?
Zac: _Não se faça de desentendida. O que foi tudo aquilo que a Demetria disse?
(Seu Nome): _Não me diga que você vai dar ouvidos para o que aquela imbecil fala.
Zac: _Eu não daria se tudo o que ela disse não fosse verdade. Se ela realmente estava mentindo então como ela sabia tanto sobre você (Seu Nome)? Vamos, fale.
(Seu Nome): _Ok, eu admito, Demetria e eu tivemos algo antes de eu vir para cá. Satisfeito?
Zac: _Por que você nunca me disse nada a respeito disso?
(Seu Nome): _Porque isso faz parte do meu passado Zac. Ela faz parte de algo que eu não quero me lembrar, e eu também não preciso abrir toda minha vida pra você. Eu não fico te pedindo para falar do seu passado, fico?
Zac: _Eu não me importaria se você pedisse, porque eu não tenho nada a esconder.
(Seu Nome): _Mas eu também não tenho.
Zac: _É mesmo? Porque se a Demetria realmente não significasse mais nada, você teria me contado dela assim que ela pisou nessa casa.
(Seu Nome): _Meu Deus Zac, eu já disse que ela faz parte de algo que eu não quero relembrar. Entenda uma coisa, VOCÊ é a pessoa que eu amo, Demetria não é nada além de uma lembrança ruim que eu preferia esquecer.
Zac: _Está sendo sincera?
(Seu Nome): _É claro que sim meu amor. Não precisa se sentir ameaçado por algo tão insignificante quanto ela. -- (Digo me aproximando dele e colocando ambos meus braços em volta de seu pescoço) -- É você quem eu amo, e continuará sendo sempre você ok? -- (Ele apenas assentiu, sorri e uni nosso lábios em um beijo, ele abraçou minha cintura e me puxou para mais perto dele. Fomos andando em direção a cama enquanto nos beijávamos, caí sentada na mesma quebrando o beijo, ele tirou a camisa e voltou a me beijar, eu sabia o que iria acontecer ali).
>(SEU NOME) OFF <
...
-00:00-
>DEMI ON<
     Já era por volta da meia noite, todos, ou quase todos da casa já estavam dormindo, o que era estranho já que geralmente a maioria fica acordado até de madrugada. Eu havia descido na cozinha para tomar um copo de água, mas já estava voltando para o meu quarto, quando de repente alguém me puxa para dentro de um quarto e me prensa contra a parede. Assim que vejo quem era abro um sorriso de lado e digo.
Demi: _Nossa, se soubesse que iria me puxar desse jeito eu teria passado aqui mais cedo.
(Seu Nome): _Cala a boca que eu não estou para brincadeiras. -- (Ela disse aparentemente com raiva).
Demi: _Ok. Como quiser.
(Seu Nome): _O que deu em você de ficar falando aquelas merdas pro meu namorado?
Demi: _Eu só disse a verdade, e você sabe disso. Não tenho culpa se há segredo entre vocês dois.
(Seu Nome): _Na verdade não temos segredos.
Demi: _É mesmo? Não foi o que pareceu. Ele nem ao menos sabia de nós.
(Seu Nome): _Ele não sabia de "nós" porque esse "nós" nunca existiu. Você se tornou tão insignificante pra mim que sinceramente não valeu a pena mencionar você nas minhas conversas com ele.
Demi: _Você acha que me engana né garota?
(Seu Nome): _Quê? -- (Perguntou sem entender. Num movimento rápido eu troquei nossos lugares, agora quem se encontrava prensada contra a parede era ela) -- Me solta. -- (Disse tentando se soltar, mas a prensei ainda mais forte a impedindo de sair dali).
Demi: _Você me trata assim porque sabe que no fundo ainda sente algo por mim. Você sente falta da minha companhia. Sente falta do meu cheiro. Sente falta do meu toque. -- (Digo passando minha mão esquerda pela sua coxa, percebo que a mesma se assusta um pouco ao sentir o toque inesperado) -- Sente falta da minha respiração quente contra seu pescoço. -- (Digo me aproximando de seu pescoço e deixando minha respiração bater contra o mesmo, sorri ao ver a pele da mesma se arrepiar. Volto ao normal e continuo a olhando nos olhos enquanto falo) -- Sente falta do meu corpo. Sente falta das nossas peles grudadas. -- (Digo enquanto vou subindo minha mão que antes se encontrava em sua coxa) -- Sente falta do jeito que eu te olho. Sente falta do jeito que acaricio seu rosto. -- (Digo cariciando sua bochecha, desço um pouco minha mão e começo a acariciar seus lábios) -- E acima de tudo sente falta do meu beijo. -- (Digo a olhando nos olhos, ela apenas me encarava sem dizer uma única palavra, volto meu olhar para seus lábios, e embora o lugar estivesse sendo iluminado apenas pela luz da lua que entrava pela janela dava para ver perfeitamente cada traço daqueles lábios tão conhecidos por mim, enfim ganho coragem e os tomo em um beijo. Ou quase isso, já que nossas bocas mal se encostaram e ela simplesmente me empurrou com força fazendo com que eu a soltasse).
(Seu Nome): _Sua maluca. O que te faz pensar que pode me agarrar assim? -- (Pergunta com raiva).
Demi: _Mas...
(Seu Nome): _Mas nada. Escuta aqui. -- (Ela diz me puxando e me colocando contra a parede novamente, mas de um jeito nada delicado) -- A próxima vez que você tentar encostar em mim eu juro que te mato entendeu? -- (Eu apenas a olhava sem entender, juro que pensei que ela estivesse se rendendo) -- VOCÊ ENTENDEU? -- (Gritou nervosa, apenas assenti) -- Ótimo, agora dá o fora daqui e nunca mais faça algo parecido com isso. -- (Diz me soltando, rapidamente saio dali e vou para o meu quarto).
>DEMI OFF<
>(SEU NOME) ON<

     Após expulsar Demetria do meu quarto eu apenas me deito em minha cama e fico fitando o teto escuro ainda sem reação pela ousadia dela de ter me agarrado daquela forma. Após alguns minutos acabei pegando no sono.

Continua...